[resenha] "FALLING WATER"

Atenção: a matéria a seguir possui apenas um pequeno spoiler, que não é importante para o episodio.
No ultimo dia 21/09, o canal USA (americano) decidiu exibir em pré-estreia o piloto da série: FALLING WATER. A estratégia foi uma tentativa de repetir o que aconteceu com outra série do canal, que inclusive é ganhadora de prêmios: Mr. Robot.

O resultado é que Falling Water já nasce com a “síndrome do Homem-Aranha”, aquela de que “grandes poderes trazem grandes responsabilidades”. Isto porque ela esta sendo vendida como a série “sucessora” de Mr. Robot. Porém a critica americana que teve acesso aos quatro primeiros episódios, embora reconheçam que a serie tem potencial, acham que somente com o tempo ela conseguirá este feito.

A história da série gira em torno de três personagens que não se conhecem e estão envolvidos em alguma espécie de busca. Tess (Lizzie Brocheré) esta em busca de seu filho desaparecido e que todos afirmam não ter nascido; Burton (David Ajala) esta em busca de sua namorada desaparecida; Taka (Will Yun Lee) esta em busca de se comunicar com a mãe catatônica.

O que os três não sabem (pelo menos no piloto), é que sonham partes diferentes de um mesmo sonho e que este é importante para a busca de cada um. De comum entre os sonhos temos: um garoto e água caindo de alguma forma (o que pode explicar o titulo da série).

No decorrer do episódio descobrimos alguns detalhes a mais:
- Tess pode entrar no sonho de outras pessoas e se comunicar com elas;
- a pessoa cujo sonho é invadido pode ser manipulada pelo invasor;
- há uma grande ameaça a espreita (uma estranha figura disforme acorrentada nas sombras);

Algumas das informações descritas anteriormente são mostradas muito sutilmente durante o capitulo. O resultado é um episodio piloto intrigante, interessante e que prende sua atenção o tempo todo. Na verdade a certa altura, você não sabe qual a cena que esta vendo é a real, isto porque às vezes o personagem fecha os olhos como se fosse dormir num local, e quando os abre esta num local diferente (no momento em que fecha os olhos numa cena, em seguida abre na outra).

A série pode ser descrita como uma ficção cientifica misturada com drama, mas há sites que a classificam de “sobrenatural” justamente por causa da figura disforme que aparece no final do episodio.

Falling Water pode não ser original, mas possui um enorme potencial de crescimento. E vale a pena dar uma olhada em seu episodio piloto que será exibido novamente na data programada: 13/10.

Obs.: a série reconhecidamente “bebe da fonte” de “A ORIGEM”, filme de Christopher Nolan.

Da esquerda para a direita: Burton, Taka e Tess