[resenha] BLINDSPOT - Uma Mente sem Memórias, um corpo cheio de pistas


No último dia 14/09, voltou a ser apresentada, em sua segunda temporada, a série Blindspot (Ponto Cego). A primeira temporada teve audiência media de 7 milhões de espectadores, o que garantiu sua continuidade.

A série tem inicio em plena Time Squire, na cidade de Nova York, com uma mala abandonada na calçada. Depois dos acontecimentos de 7 de setembro, uma mala abandonada sempre chama atenção em grandes centros nos EUA. Isolamento feito, esquadrão anti-bombas convocado, a mala se mexe! E de dentro sai uma mulher desnorteada, nua e com o corpo totalmente tatuado (a atriz Jaimie Alexander, a Lady Sif de Thor: O Reino Sombrio). 

Uma destas tatuagens traz o nome de um agente do FBI: Kurt Weller (o ator Sullivan Stapleton, da série Strike Back e do filme 300: A Ascensão do Império). E justamente por isto, a mulher é entregue ao FBI para interrogatório. Ocorre que a mulher não se lembra quem é, como foi parar naquela situação, quem a raptou e quando, ou porque tem o corpo inteiramente tatuado, na verdade ela não se lembra de nada, pois teve as memórias apagadas (o que justifica o titulo Blindspot - Ponto Cego). 

A história teria ficado por aí, se não houvesse aquele personagem clichê de todas as séries de investigações atuais, que tem dificuldades em socializar, que são ignorados na maioria das vezes, mas que também se mostram ser verdadeiros gênios. Neste caso é uma agente de nome Patterson (Ashley Johnson), que consegue descobrir que uma das tatuagens tem um significado oculto, que os leva a investigarem e prenderem criminosos. 

E como gancho para a continuação, e sugerir intrigas mais profundas no que aconteceu, uma das tatuagens também é o número de código de um dos casos já investigados pelo FBI em associação com a CIA.

PRÓS E CONTRAS DA SÉRIE

O maior trunfo da série é as tatuagens, também acaba por gerar problemas. As tatuagens e seus significados são o fio condutor da trama de cada episódio e da temporada em si. O problema que às vezes ocorre é a incrível coincidência da tatuagem ser decifrada exatamente quando o crime está ocorrendo, ou numa data muito próxima. Nestes momentos precisamos "desligar o botão" da lógica, para aceitarmos o fato. 

Numa ocasião, eles decifraram a tatuagem exatamente quando um grupo terroristas iria atacar e mais: a tatuagem trazia a informação do lugar (ou provável lugar) a ser atacado! Mesmo considerando que isto pode indicar que a pessoa ou pessoas por traz das tatuagens, são as responsáveis pelos atentados, como ela (ou elas) poderia antecipar quando a tatuagem seria decifrada exatamente? 

Mais uma vez, mesmo considerando a possibilidade de um "infiltrado" no FBI (o que parece ser bem fácil de se fazer, de acordo com as séries atuais).

Outro ponto que ajuda, mas que também pode atrapalhar, são as "teorias da conspiração" apresentadas desde o episódio 1. Vemos as impressões digitais da CIA claramente em alguns acontecimentos, inclusive com direito a um agente dela trabalhando com o FBI (mais uma vez temos toda aquela, animosidade entre as organizações), assim temos vários codinomes misteriosos aparecendo: DAYLIGHT, ORION, SANDSTORM. FASE 2 e sabe-se lá quantos mais aparecerão. 

O perigo de aparecerem "operações secretas" demais é ficarmos sem explicação de algumas.

BALANÇO FINAL DA TEMPORADA 1 E DO INÍCIO DA TEMPORADA 2


Todos os pontos que destacamos anteriormente, não chegam abalar a qualidade da série. Afinal, em qual delas não deixamos de "desligar a lógica"?

A primeira temporada (como sempre acontece) foi dividida em duas partes por causa do famoso "hiato" (as séries param por causa de eventos esportivos) e no final da parte A da primeira temporada, temos uma chocante revelação e um bom clímax no final da parte B, que inclusive define algumas mudanças no relacionamento dos personagens.

E neste primeiro episódio da segunda temporada, vemos o cuidado dos produtores em explicar alguns pontos deixados "em aberto" na temporada anterior (como um detalhe sobre o exame de DNA realizado em "Jane Doe"), temos a introdução de um novo personagem: Shepard e o nome de Jane Doe revelado (pelo menos aparentemente)!

Estas revelações determinam uma mudança na dinâmica da série, e deixam Jane numa situação ainda mais difícil. Como ela se sairá? Não percam os próximos episódios!