Brian Azzarello responde a controversas decisões tomadas em Batman: Piada Mortal.

Texto por Herald Henry
Olá de novo!!! quanto tempo!!

Ah a Internet. sem polêmica não teria graça a internet não é verdade??

Apesar de ainda não ter sido lançada lá fora (apenas dia 25, e por aqui no dia 2) a animação já saiu nos torrents da vida e a maioria já assistiu, mesmo com legendas de google tradutor ou em espanhol.

Vamos ainda somar que essa animação foi (é) muito aguardada pelo público e os realizadores (Azzarelo e o diretor Sam Liu além de Bruce Timm e Paul Dini) tomaram algumas decisões.

Decidiram "encorpar" a animação (colocaram 28 minutos de algo que NÃO TEM  na história original) e ainda foi pensado em colocar um background colocando... Arlequina na história.

E os mesmos disseram que o material original NÃO caberia pro espaço de Home Video (ou seja a história era curta demais pra uma hora de animação)

Então Brian Azzarello (que já havia cometido heresias em Before Watchmen também) colocou "coisas a mais" (ATENÇÃO AMIGO. SPOILER SEVERO A PARTIR DAQUI OK?).

Que seria a relação entre Batgirl e Batman, relação mesmo! Sexual. (quiçá sentimental também, mas a primeira parte do filme não dá indícios suficientes)

Eles seriam mais que mentor e pupila. Eles na animação tiveram uma cena (que foi similar a uma cena com Mulher Gato logo no começo dos N52) de sexo num telhado. 

Calma... estou apenas contando. Coisa que anos antes havia sido BARRADA numa HQ de Jeph Loeb (a saga Silêncio) onde Batman e Selina iriam para a cama nus mas de máscara...


Os realizadores quiseram "apimentar" dar ainda mais razão do porquê Batman ter ficado tão afetado quando Coringa feriu Bárbara Gordon.

 Tanto que eles tiveram que se explicar na Comic Con

" O interessante da Piada Mortal é que é uma história controversa. E colocamos AINDA MAIS CONTROVÉRSIA ...!" -Brian Azzarelo

A questão é: se a decisão deles de "gerar controvérsia" (em uma história clássica) foi algo acertado, apenas o tempo irá dizer.

A história em si (opinião nossa) é gigante o bastante, não há porque se tentar inventar a roda ou pintar a Monalisa novamente.


Fonte: Hollywood Reporter.